+ 1 (707) 877-4321
+ 33 977-198-888
English
Français
Deutsch
Italiano
Español
Русский
中国
Português
日本

"Retrato de Helena Fourment", 1638 por Peter Paul Rubens (1577-1640, Germany)

Comprar Reprodução De Belas Artes Peter Paul Rubens Retrato De Helena Fourment (Retratos) , Comprar Reprodução De Belas Artes Peter Paul Rubens Retrato De Helena Fourment (Retratos) 'Retrato de Helena Fourment', 1638 por Peter Paul Rubens (1577-1640, Germany) Comprar Reprodução De Belas Artes Peter Paul Rubens Retrato De Helena Fourment (Retratos) , Comprar Reprodução De Belas Artes Peter Paul Rubens Retrato De Helena Fourment (Retratos)

"Retrato de Helena Fourment"



 
Print on canvas   Reprodução
Comprar uma impressão em giclê desta obra  de Peter Paul Rubens Você quer comprar uma impressão sobre tela desta obra de Peter Paul Rubens?
WahooArt.com usa apenas as tecnologias de impressão mais modernas e eficientes em nossas telas, com base no procedimento de impressão Giclê. Este inovador de alta resolução de impressão técnica resulta em impressões duráveis ​​e espetacular olhar da mais alta qualidade.
Não hesite em pedir a sua cópia agora!


  Compre uma réplica feita à mão por Peter Paul Rubens Por um pouco mais do que o preço de uma impressão, você pode ter uma réplica feita à mãode uma pintura por Peter Paul Rubens.
Com nossos talentosos pintores a óleo, oferecemos pinturas a óleo 100% feitas mão em vários assuntos e estilos

Clique aqui para comprar uma réplica a óleo feita a mão deste trabalho por Peter Paul Rubens

Peter Paul Rubens (Siegen, 28 de Junho de 1577 — Antuérpia, 30 de Maio de 1640) foi um pintor flamengo inserido no contexto do Barroco.

Além de manter um grande estúdio em Antuérpia que produziu muitas pinturas populares entre a nobreza e os colecionadores por toda a Europa, Rubens foi humanista de educação clássica, um colecionador e um diplomata, e foi elevado ao título de cavaleiro por Filipe IV da Espanha e Carlos I de Inglaterra.

Rubens nasceu em Siegen, na Vestfália, de Jan Rubens e Maria Pypelincks. Seu pai, um calvinista, e sua mãe fugiram de Antuérpia para Colônia em 1568, por causa do crescente tumulto religioso e das perseguições aos protestantes durante o reinado do Duque de Alba nos Países Baixos Espanhóis. Jan Rubens se tornou um conselheiro jurídico (e amante) de Ana da Saxónia, a segunda esposa de Guilherme I de Orange, e se assentou na corte dela em Siegen em 1570. Após Jan Rubens ter sido preso por causa do relacionamento, Peter Paul Rubens nasceu, no ano de 1577. A família retornou para Colônia no ano seguinte e, em 1589, dois anos após a morte de Jan, ele e sua mãe se mudaram novamente para Antuérpia, onde ele foi criado como um católico. A religião apareceria de forma proeminente na maior parte de sua obra e Rubens iria se tornar uma das principais vozes da pintura na Contra-Reforma católica.

Em Antuérpia, Rubens recebeu uma educação humanista, estudando latim e literatura clássica. Aos quatorze, ele começou o seu aprendizado artístico com Tobias Verhaeght. Subsequentemente, ele estudou sob dois dos principais pintores da cidade na época, o artistas do final do período maneiristas Adam van Noort e Otto van Veen. Começou com Adam van Noort, depois Tobias Verhaeght e finalmente Otto van Veen, que exerceu sobre ele a maior influência. Foi Van Veen que fez nascer em Rubens uma grande admiração pela Itália e pela cultura latina clássica. Isso marcou toda a sua obra e o fez servir aos reinos latinos católicos mesmo sendo germânico filho de pai protestante.

Muito de seu treinamento inicial envolveu copiar as obras de artistas anteriores, como as xilogravuras de Hans Holbein, o Jovem e as gravuras de Marcantonio Raimondi baseadas em Rafael. Rubens completou a sua educação em 1598, quando então entrou para a Guilda de São Lucas como um mestre independente.

Em 1600, Rubens viajou para a Itália. Ele parou primeiro em Veneza, onde ele viu as pinturas de Ticiano, Veronese e Tintoretto, antes de assentar em Mântua, na corte do duque Vincenzo I Gonzaga. As cores e as composições de Veronese e Tintoretto tiveram um efeito imediato sobre as pinturas de Rubens e seu estilo posterior, mais maduro, foi profundamente influenciado por Ticiano. Com o apoio financeiro do duque, Rubens viajou a Roma passando por Florença em 1601. Lá, ele estudou grego clássico e a arte romana, copiando obras dos mestres italianos. A escultura helenística "Laocoonte e seus filhos" teve uma influência especial sobre ele, assim como a arte de Michelângelo, Rafael e Leonardo da Vinci. Ele também foi influenciado pela recente - e fortemente naturalística - obra de Caravaggio. Ele posteriormente fez uma cópia de uma obra dele, "O Enterro de Cristo", e recomendou ao seu patrocinador, o duque de Mântua, que comprasse a "Morte da Virgem" (que hoje está no Louvre). Além disso, ele foi instrumental nas aquisições da "Madonna do Rosário" (Kunsthistorisches Museum, Viena) para a igreja dominicana em Antuérpia. Durante sua primeira estadia em Roma, Rubens completou uma encomenda para uma peça de altar, "Santa Helena (território) com a Vera Cruz" para a igreja de Santa Croce in Gerusalemme.

Rubens viajou para a Espanha numa missão diplomática em 1603, levando presentes dos Gonzagas para a corte de Filipe III. Enquanto estava lá, ele estudou a enorme coleção de obras de Rafael e Ticiano criada por Filipe II. Ele também pintou um retrato equestre do Duque de Lerma (Museu do Prado), em Madrid - à direita) que já demonstra a influência de obras como o retrato de Carlos V de Ticiano (1548; no Prado), Esta viagem marcou como sendo a primeira de muitas em sua carreira onde ele combinaria as necessidades da arte e da diplomacia.

Ele retornou à Itália em 1604, onde permaneceu pelos próximos quatro anos, primeiro em Mântua e depois em Gênova e Roma. Em Gênova, Rubens pintou diversos retratos, como a Marchesa Brigida Spinola-Doria (National Gallery of Art, Washington, D.C.) e o retrato de Maria di Antonio Serra Pallavicini, num estilo que influenciou as pinturas posteriores de Anthony van Dyck, Joshua Reynolds e Thomas Gainsborough.. Ele também começou um livro sobre os palácios da cidade. Entre 1606 e 1608, ele ficou a maior parte do tempo em Roma e, durante esse período, ele recebeu, com a ajuda do cardeal Jacopo Serra (o irmão de Maria Pallavicini), sua mais importante encomenda até então, o grande altar da mais moderna e elegante nova igreja da cidade, Santa Maria in Vallicella, também conhecida como Chiesa Nuova.

O tema principal tinha que ser São Gregório Magno e importantes santos locais adorando um ícone da Virgem e o Menino. A primeira versão, uma tela simples (atualmente no Musée des Beaux-Arts, em Grenoble), foi imediatamente substituída por uma segunda versão, em três painéis planos que permitem que a verdadeira milagrosa imagem sagrada da "Santa Maria em Vallicella" seja revelada em festas importantes através de uma cobertura removível em cobre, também pintada pelo artista.

As experiências de Rubens na Itália continuaram a influenciar sua obra. Ele continuou a escrever muitas de suas correspondências em italiano, assinando seu nome como "Pietro Paolo Rubens" e por toda vida falou, com saudade, em voltar para a península - algo que jamais ocorreria.

Não tarda a chegar a fama. Sucedem-se várias outras, principalmente pinturas para igrejas e retratos da aristocracia. Pinta duques, condes e também burgueses, a classe em franca ascensão nos estados italianos. Fica famoso, e é conhecido entre as elites por ser, além de excelente pintor, uma pessoa de fácil relacionamento e grande simpatia.

Ao saber que sua mãe estava doente em 1608, Rubens planejou viajar da Itália para Antuérpia. Porém, ela morreu antes que ele pudesse vê-la. Sua volta coincidiu com um período de renovada prosperidade na cidade com a assinatura do Tratado de Antuérpia em abril de 1609, que iniciou a Trégua dos Doze Anos. Em setembro de 1609, Rubens foi escolhido como o pintor da corte por Alberto VII, arquiduque da Áustria, e da Infanta Isabella Clara Eugenia, soberanos dos Países Baixos Espanhóis. Ele recebeu uma permissão especial para basear seu estúdio em Antuérpia ao invés de Bruxelas, onde estava sediada a corte, e também para trabalhar para outros clientes. Ele se manteve próximo da arquiduquesa Isabella até a sua morte em 1633 e foi utilizado não somente como pintor, mas também como embaixador e diplomata. Rubens cimentou ainda mais seus laços com a cidade quando, em 3 de outubro de 1609, ele se casou com Isabella Brant, a filha de um dos mais proeminentes humanistas da cidade, Jan Brant.

Em 1610, Rubens se mudou para uma casa e um estúdio novos, projetados por ele. Agora, o Museu Rubenshuis, a villa de influência italiana no centro de Antuérpia acomodava o seu estúdio, onde ele e seus aprendizes fizeram a maior parte de suas obras, além de sua coleção de arte pessoal e uma biblioteca, ambas entre as maiores de Antuérpia. Durante este período, ele ampliou o estúdio com a ajuda de diversos estudantes e assistentes, o mais famoso deles fora o jovem Anthony van Dyck, que logo se tornaria o mais famoso retratista flamengo e um colaborador frequente de Rubens. Ele também colaborava frequentemente com muitos especialistas ativos na cidade, incluindo o pintor de animais Frans Snyders, que contribuiu com a águia em seu "Prometeu acorrentado" (1611–12. Philadelphia Museum of Art), e com o seu grande amigo, o pintor de flores Jan Brueghel, o Velhor.

Peças de altar, como a "O Erguimento da Cruz" (1610) e "A Descida da Cruz" (1611-1614) para a Catedral de Nossa Senhora foram particularmente importantes para estabelecer Rubens como o mais importante pintor nos Flandres após a sua volta. O "O Erguimento da Cruz", por exemplo, demonstra a síntese que Rubens fez da "Crucificação" de Tintoretto para a Scuola Grande di San Rocco, em Veneza, as figuras dinâmicas de Michelângelo e o seu estilo pessoal. Esta pintura é geralmente lembrada como um grande exemplo da arte religiosa barroca.

Rubens fez uso de gravuras e de capas de livros, especialmente para o seu amigo Balthasar Moretus, o proprietário da grande Editora Plantin-Moretus, para espalhar a sua fama por toda a Europa durante a sua carreira. Com a exceção de um par de água-fortes, ele mesmo apenas produziu desenhos dessas gravuras, deixando a impressão em si para os especialistas, como Lucas Vorsterman.. Ele recrutou diversos entalhadores treinados por Goltzius, a quem ele cuidadosamente ensinou para que aprendessem o estilo mais vigoroso que ele queria. Ele também projetou a última xilogravura importante anterior ao revival da técnica no século XIX. Rubens também deixou claro os direitos de autor de suas gravuras, principalmente na Holanda, onde sua obra era largamente copiada através delas. Ele também estabeleceu os direitos de autor na Inglaterra, França e Espanha.

A produção dos quadros obedecia a um esquema montado por ele, segundo o qual ele realizava todos os primeiros esboços e encarregava os aprendizes de montar um modelo em escala menor, que era apresentado ao cliente. Se aprovado, Rubens traçava a lápis na tela e os discípulos colocavam a cor e o óleo, cabendo ao mestre de novo fazer a "arte final".

Em 1621, a rainha-mãe da França, Maria de Médici, encomendou a Rubens dois grandes ciclos alegóricos celebrando a sua vida e a de seu recém-finado marido, Henrique IV para o Palácio do Luxemburgo, em Paris. O desde então chamado "Ciclo de Maria de Médici" (atualmente no Louvre) foi instalado em 1625 e, embora ele tenha começado o trabalho no segundo ciclo, jamais teve tempo de terminá-lo. Maria foi exilada da França em 1630 por seu filho, Luís XIII, e morreu em 1642, na mesma casa em Colônia onde Rubens vivera quando criança.

Com o final da Trégua dos Doze Anos, em 1621, os regentes Habsburgos espanhóis confiaram a Rubens numerosas missões diplomáticas. Em 1624, o embaixador francês escreveu de Bruxelas: "Rubens está aqui para pintar o retrato do príncipe da Polônia, por ordens da infanta" (o princípe Władysław IV Vasa foi a Bruxelas como convidado pessoal da Infanta Isabella em 2 de setembro de 1624).

Entre 1627 e 1630, a carreira diplomática de Rubens esteve particularmente ativa e ele frequentemente se movimentava entre as cortes da Espanha e da Inglaterra tentando promover a paz entre os Países Baixos Espanhóis]] e as Províncias Unidas. Ele também fez diversas viagens para o norte da Holanda, tanto como artista quanto como diplomata. Nas cortes, ele por vezes encontrava pessoas que acreditavam que cortesãos não deveriam colocar as mãos em nenhuma forma de arte ou comércio, mas ele foi também recebido como um cavalheiro em diversas outras. Foi durante este período que Rubens foi, por duas vezes, elevado ao título de cavaleiro, a primeira por Filipe IV, em 1624, e a segunda, por Carlos I, em 1630. Rubens esteve em Madrid por oito meses entre 1628 e 1629. Além das negociações diplomáticas, ele realizou ali diversas obras importantes para Filipe IV e outros patrocinadores privados. Ele também pôde começar um novo estudo sobre as obras de Ticiano, copiando várias delas, inclusive a "Queda do Homem" de Madrid (1628-1629). Durante a sua estadia, ele se tornou amigo do pintor da corte espanhola, Diego Velázquez, e os dois planejaram visitar a Itália juntos no ano seguinte. Rubens, porém, retornou para Antuérpia e Velázquez viajou sem ele.

Sua estadia em Antuérpia seria breve e ele logo viajou para Londres, onde ele permaneceu até abril de 1630. Uma obra importante deste período é a "Alegoria sobre a Paz e Guerra" (1629; National Gallery, Londres).. Ela é um bom exemplo da forte preocupação de Rubens com a paz e foi presenteada a Carlos I.

Enquanto a reputação de Rubens entre os colecionadores e a nobreza continuava a crescer durante esta década, ele e seu estúdio continuaram a pintar obras monumentais para contratantes locais em Antuérpia. A "Assunção da Virgem Maria" (1625-1626) para a Catedral de Antuérpia é um bom exemplo.

A última década de Rubens se passou em Antuérpia ou nas redondezas. Obras grandes para compradores estrangeiros ainda o ocupavam, como as pinturas para o teto da Salão de Banquetes do Palácio de Whitehall, de Inigo Jones, mas ele também explorou algumas possibilidades artísticas mais pessoais.

Em 1630, quatro anos após a morte de sua primeira esposa, o artista, então com 53 anos de idade, se casou com a donzela Hélène Fourment, de dezesseis. Ela inspirou nele figuras voluptuosas em muitas pinturas da década de 1630, incluindo "A Festa de Vênus" (Kunsthistorisches Museum, Viena), "As Três Graças" (Prado, Madrid) e "O Julgamento de Páris" (Prado, Madrid - à direita). Nesta última pintura, que foi feita para a corte espanhola, a jovem esposa do artista foi reconhecida como sendo a figura de Vênus. Num retrato íntimo dela, "Hélène Fourment embrulhada em peles", também comhecido como Het Pelsken, a esposa de Rubens chega a ser representada com base nas esculturas clássicas da Vênus Pudica, como na Vênus de Médici.

Rubens morreu de gota em 30 de maio de 1640 e foi enterrado na Igreja de São Tiago em Antuérpia. Ele deixou oito filhos, três com Isabella e cinco com Hélène, sendo que o caçula nasceu oito meses após a sua morte.

Rubens foi um artista muito prolífico. Suas obras sob encomenda foram majoritariamente sobre assuntos religiosos, pinturas "históricas", que incluem assuntos mitológicos, e cenas de caçadas. Ele pintou muitos retratos, especialmente de amigos e auto-retratos, e, no final de sua vida, ele pintou diversas paisagens. Ele também projetou diversas tapeçarias e gravuras, além de sua própria casa.

[Biography - Peter Paul Rubens - 15Ko]
The Flemish baroque painter Peter Paul Rubens , b. June 28, 1577, d. May 30, 1640 was the most renowned northern European artist of his day, and is now widely recognized as one of the foremost painters in Western art history. By completing the fusion of the realistic tradition of Flemish painting with the imaginative freedom and classical themes of...
[Biography - Peter Paul Rubens - 6Ko]
Rubens was born in Germany where he lived throughout his childhood and teen years. After finally deciding on fully pursuing a career in the arts, Rubens joined the painter’s guild, a long and arduous process that one only undertook if they were absolutely positive they wanted to make a lifetime career of whatever craft they entered a guild of. Even...
[Page - Peter Paul Rubens - 4Ko]
Un tapissier, Jean Rubens, échevin d'Anvers, suspect de calvinisme, était parti pour Cologne en 1568 avec sa femme, Maria Pypelinex, après l'exécution, des comtes d.'Egmont et de Hornes. Il eut là l'occasion d'assister, comme juriste, la femme de Guillaume le Taciturne.......... Article de L. Durand-Gréville publié dans La grande encyclopédie (1885...
[Page - Peter Paul Rubens - 10Ko]
Pierre Paul Rubens (prononcé [ʁybɛns] à la belge, ou [ʁybɛ̃s] à la française), ou Peter Paul Rubens en néerlandais, né le 28 juin 1577 à Siegen (Westphalie) et mort le 30 mai 1640 à Anvers, est un peintre baroque flamand. Aidé par un atelier important, Rubens produit une œuvre considérable dans des genres divers. Il accepte de peindre un grand nomb...
[Biography - Peter Paul Rubens - 7Ko]
Peter Paul Rubens (IPA: [ʁybɛns]) (auch Pieter Pauwel Rubens oder Petrus Paulus Rubens, * 28. Juni 1577 in Siegen † 30. Mai 1640 in Antwerpen) war einer der bekanntesten Maler des Barock und Diplomat der spanisch-habsburgischen Krone flämischer Herkunft. Peter Paul Rubens wurde vermutlich am 28. Juni 1577 als Sohn von Jan Rubens und Maria Pypelinc...
[Biography - Peter Paul Rubens - 15Ko]
Sir Pieter Paul Rubens (Siegen, 28 giugno 1577 – Anversa, 30 maggio 1640) è stato un pittore fiammingo. La sua opera, secondo Giuliano Briganti, «può considerarsi l’archetipo del "barocco"»[senza fonte] per Luigi Mallè, ha aperto la via al tumultuante barocco europeo, nordico e francese in particolar modo. Rubens nacque a Siegen, in Westfalia, Ger...
[Biography - Peter Paul Rubens - 15Ko]
Peter Paul Rubens (Siegen, Sacro Imperio Romano Germánico, actual Alemania, 28 de junio de 1577 - Amberes, Flandes (Países Bajos Españoles), actual Bélgica, 30 de mayo de 1640), también conocido en español como Pedro Pablo Rubens, fue un pintor barroco de la escuela flamenca. Su estilo exuberante enfatizaba el movimiento, el color y la sensualidad....
[Biography - Peter Paul Rubens - 15Ko]
Питер Пауль Ру́бенс (нидерл. Pieter Paul Rubens, МФА: [ˈpitər 'pʌul 'rybə(n)s] 28 июня 1577, Зиген — 30 мая 1640, Антверпен) — плодовитый южнонидерландский (фламандский) живописец, как никто другой воплотивший подвижность, безудержную жизненность и чувственность европейской живописи эпохи барокко. Творчество Рубенса — органичный сплав традиций бре...
[Biography - Peter Paul Rubens - 9Ko]
パウル・ルーベンス(蘭: Peter Paul Rubens、1577年6月28日 - 1640年5月30日)は、バロック期のフランドルの画家、外交官。祭壇画、肖像画、風景画、神話画や寓意画も含む歴史画など、様々なジャンルの絵画作品を残した。 ルーベンスはアントウェルペンで大規模な工房を経営し、生み出された作品はヨーロッパ中の貴族階級や収集家間でも高く評価されていた。またルーベンスは画家としてだけではなく、古典的知識を持つ人文主義学者、美術品収集家でもあり、さらに外交官としても活躍してスペイン王フェリペ4世とイングランド王チャールズ1世からナイト爵位を受けている。 欧州大学院大学の奨励金制度には、毎年著名な歴史上の人物の名前がつけられており、1976年から1977年の奨励金制度はピーテル・パ...
[Biography - Peter Paul Rubens - 6Ko]
彼得·保罗·鲁本斯(荷蘭語:Peter Paul Rubens,1577年6月28日-1640年5月30日),弗兰德画家,巴洛克画派早期的代表人物。 鲁本斯出生于德国锡根,父亲是一名原籍比利时安特卫普的新教律师,为了逃避宗教迫害而逃到德国。在他的父亲去世后,12岁的鲁本斯跟随母亲回到了西班牙统治下的家乡安特卫普,并在那里接受了天主教洗礼,而宗教也成为鲁本斯画家生涯中十分重要的一个主题。少年时期的鲁本斯曾在一个伯爵夫人家里做侍童,因此有机会接受正统的贵族式教育,精通多种语言。后来又在母亲的安排下从师几位画家,21岁时他便获得安特卫普画家公会的承认,成为一名正式的画家。 1600年,鲁本斯前往意大利继续学习绘画,曾为曼图亚公爵(Duke Mantua)作画,能够有机会进一步完善其艺术素养与教育水...
[Biography - Peter Paul Rubens - 3Ko]

 

WahooArt.com - Peter Paul Rubens
Arts & Entertainment > Hobbies & Creative Arts > Artwork
A-8YDNU2----PT-
"Retrato de Helena Fourment", 1638 por Peter Paul Rubens (1577-1640, Germany)
/Art.nsf/O/8YDNU2/$File/Peter-Paul-Rubens-Portrait-of-Helena-Fourment.JPG
Peter Paul Rubens
-- -- -- -- -- -